Diminuir letra Aumentar letra
NOTÍCIAS

29/01/2019
Segundo estudo, quantidade de água ingerida por crianças é insuficiente

shutterstockagua.jpg

Crédito da imagem: Shutterstock

Já o consumo de refrigerantes é considerado alto.

Publicado no European Journal of Nutrition, a pesquisa indica que crianças e adolescentes não estão ingerindo a quantidade necessária de líquidos, especialmente água.

A hidratação inadequada nessas faixas etárias pode prejudicar o desempenho físico e cognitivo e afetar o funcionamento do organismo.

Realizado na América Latina (México, Brasil, Argentina e Uruguai) e na Ásia (China e Indonésia), o estudo revelou também que elas consomem em excesso bebidas com alto teor de açúcar, como refrigerantes e sucos industrializados, o que aumenta o risco de obesidade, diabetes tipo 2 e problemas cardiovasculares.

Conforme as autoridade de saúde, a quantidade de água necessária para o corpo depende de diversos fatores. No entanto, há um cálculo que serve como base: peso corporal X 0,03. Uma criança de 30 quilos deve ingerir, portanto, cerca de 1 litro por dia. 

Apesar disso, a recomendação é que o consumo de água seja baseado na sede, um sistema de defesa do organismo para evitar a desidratação e seus efeitos colaterais, como dores de cabeça, cansaço, tontura e fraqueza.

Os pesquisadores analisaram a presença das seguinte bebidas: água (torneira e garrafa), leite e derivados, bebidas quentes (café e chá), sucos naturais, bebidas industrializadas com alto teor de açúcar (refrigerantes, energéticos, bebidas esportivas, chás e sucos artificiais) e bebida alcoólica. 

Com idades entre 4 e 17 anos, os participantes foram orientados a registrar a ingestão de líquidos ao longo do dia e da noite durante sete dias. Relataram o tipo de bebida, volume e tamanho do recipiente, o local onde foi ingerido e se foi associado a sólidos. O consumo de alimentos não foi registrado. 

Os resultados mostraram que, entre os países latinos, o Brasil foi um dos poucos em que o consumo diário de água atingiu todas as crianças (cerca de 369mL/dia). Entre os adolescentes, o maior consumo registrado foi no Brasil. Embora os resultados pareçam positivos, todos os valores estão abaixo do recomendado.

A ingestão de bebidas com alto teor de açúcar foi de 396mL entre as crianças e de 499mL entre os adolescentes. As médias são consideradas altas pelos pesquisadores, que alertam para o aumento do Índice de Massa Corporal nestas faixas etárias em países latino-americanos.

Segundo eles, o aumento de peso dos pequenos está relacionado à ocorrência de problemas de saúde como diabetes tipo 2 e síndrome metabólica – conjunto de condições que aumentam o risco cardiovascular.

O estudo foi realizado em 2016 por especialistas de diversas instituições internacionais, entre elas a British Dietetic Association, no Reino Unido, e o Instituto Nacional de Pediatria do México. Os resultados foram divulgados no ano passado.

Com informações de Veja Online.