Diminuir letra Aumentar letra
NOTÍCIAS

15/03/2010
Hipertensão é principal causa de diálise


Nos últimos dez anos, a hipertensão passou a ser o principal problema que leva à diálise no Brasil, segundo dados de um censo feito pela SBN (Sociedade Brasileira de Nefrologia) com mais da metade das unidades de diálise de todo o país.

Em 1999, 17% dos pacientes que faziam o tratamento eram hipertensos. Em 2009, essa proporção subiu para 35%.

De acordo com Carmen Tzanno, membro da SBN, houve uma mudança no perfil do doente renal. Antes, o problema era causado principalmente por doenças infecciosas, e os jovens eram a maioria dos pacientes que faziam diálise. Hoje, dois terços dos pacientes que fazem o tratamento têm mais de 40 anos.

Segundo Tzanno, a melhora do acesso ao atendimento médico para tratar infecções contribuiu para a mudança. "Além disso, as pessoas com doenças crônicas vivem mais e, assim, têm mais tempo de vida para desenvolver outros problemas, como a doença renal."

No Brasil, a segunda principal causa de doenças renais é o diabetes - 27% dos pacientes que fazem diálise têm o problema. Nos Estados Unidos, essa é a principal causa.

Quando não são controlados, o diabetes e a hipertensão danificam os vasos sanguíneos, o que é especialmente prejudicial no caso do rim, órgão filtrador, como explica Paulo Luconi, presidente da ABCDT (Associação Brasileira dos Centros de Diálises e Transplantes).

"As doenças crônicas são altamente tratáveis. Mesmo para quem tem doença crônica renal, é possível postergar ou evitar a diálise com o acompanhamento correto", diz o médico, também professor da Unifesp.

No total, o número de doentes renais que fazem diálise cresceu 81% entre 2000 e 2009. Para Luconi, os dados revelam uma "epidemia da doença renal" devido à piora dos hábitos de vida da população e ao crescimento da obesidade e do sedentarismo. "Aumentou o número de pacientes com doenças renais que fazem diálise, e esse número vai continuar a aumentar", afirma.

Autora: Mariana Versolato