Diminuir letra Aumentar letra
NOTÍCIAS

16/01/2014
Exercício reduz risco de complicações em pacientes cardíacos

caminhada_0.jpg

A caminhada pode representar avanços significativos para a saúde de pacientes cardíacos

Além de ser uma grande aliada para a prevenção de doenças do coração, a prática regular de atividades físicas é igualmente importante para o tratamento de pacientes cardiopatas ou de grupos de risco.

Publicado na revista The Lancet, o estudo acompanhou 9.300 adultos de diferentes parte do mundo para avaliar a relação entre exercício e risco de ataque cardíaco, acidente vascular cerebral e morte. Todos os participantes envolvidos na pesquisa apresentavam pré-diabetes, fatores de risco para doenças cardiovasculares ou já haviam sido diagnosticados com alguma doença do coração.

Incentivados a manter uma rotina de atividades físicas, eles receberam acompanhamento profissional para potencializar a prática e alcançar um peso saudável.

Durante seis anos, os pesquisadores responsáveis pelo levantamento contaram com o auxílio de pedômetros – equipamento que conta os passos durante a caminhada ou corrida – para coletar informações sobre os exercícios realizados por cada participante. No período, também foram monitoradas ocorrências de ataque cardíaco, acidente vascular cerebral e morte.

Como resultado dos seis anos de acompanhamento, os pesquisadores relataram um total de 531 eventos cardiovasculares. Eles constataram que o risco cardiovascular variou de acordo com o nível de atividade física: os participantes mais ativos apresentaram propensão significativamente menor de complicações, especialmente quando comparados a pacientes que não mudaram seus hábitos durante a pesquisa e não realizaram as atividades recomendadas.

Em números, os autores do estudo colocam que o aumento de 20 mil passos por dia, o equivalente a 20 minutos de caminhada, reduziu em 10% o risco de um evento cardíaco. Sendo a caminhada uma das atividades com maior número de cardiopatas adeptos, o estudo mostra que levar o hábito a sério, com prática diária e boa duração, pode representar avanços significativos para a saúde desses pacientes.