Diminuir letra Aumentar letra
NOTÍCIAS

23/04/2018
Beber moderadamente reduz a expectativa de vida, indica pesquisa

vinho_0.jpg

Crédito da imagem: Internet

Segundo os autores, a descoberta desafia a crença amplamente difundida de que beber moderadamente é benéfico para a saúde cardiovascular.

Beber mais do que 100g de álcool por semana – o equivalente a cinco ou seis taças de vinho – pode tirar anos de vida, segundo pesquisa publicada na revista Lancet. Conforme o texto, o excesso de bebida aumenta o risco de derrame, aneurisma letal, falência cardíaca e morte.

O estudo, conduzido pela Universidade de Cambridge, comparou informações de saúde e hábitos associados ao consumo de bebidas de 600 mil pessoas em 19 países (o levantamento não inclui o Brasil), com dados controlados de idade, tabagismo, histórico de diabetes, nível educacional e profissão.

O limite máximo de consumo considerado seguro foi de cerca de cinco doses por semana (100g de álcool puro, o equivalente a cinco taças de 175ml de vinho com 13% de teor alcoólico). Beber mais do que essa quantidade foi associado a uma expectativa de vida reduzida. 

Ingerir 10 ou mais doses por semana, por exemplo, representou entre um e dois anos a menos. Já 18 ou mais doses reduziram em até cinco anos a expectativa de vida.

Os pesquisadores investigaram também a associação entre o consumo de álcool e diferentes tipos de doenças cardiovasculares. De acordo com os resultados, beber aumenta o risco de derrame, falência cardíaca, aneurisma letal da aorta e doença hipertensiva letal. Apenas no caso de ataques cardíacos não letais, o álcool promoveu uma leve redução do risco.

A autora principal do estudo, Dra. Angela Wood, ressalta que a mensagem central da pesquisa é um alerta para a população, para que todos saibam que beber menos pode ajudar a viver mais.