Diminuir letra Aumentar letra
NOTÍCIAS

03/01/2019
6 hábitos que aumentam a longevidade

envelhecer.jpg

Crédito da imagem: iStock

Para refletir sobre nossos hábitos neste início de ano, separamos seis itens de uma lista lançada pelo portal Daily Mail com dicas que, segundo estudos científicos, podem prolongar a vida.

1. Durma o suficiente

Assim como dormir pouco pode reduzir a expectativa de vida, dormir em excesso pode provocar um efeio ainda mais nocivo.

Um relatório publicado em 2010 revelou que dormir menos de seis horas por noite pode aumentar em 12% o risco de morte precoce. No entanto, o risco chega a 30% para quem dorme mais de nove horas. O estudo é baseado na análise de 1 milhão de pessoas de oito países. 

Por essa razão, o tempo recomendado para garantir saúde e longevidade é de sete a oito horas de sono por noite.

Enquanto os efeitos colaterais da privação do sono incluem obesidade, doenças cardíacas, hipertensão e depressão, dormir muito pode sinalizar que o corpo está lutando com uma doença subjacente ou depressão.

2. Faça exercícios

Incluir na rotina a prática de atividades físicas é um dos itens mais conhecidos quando o assunto é viver mais e melhor.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda um mínimo de 150 minutos semanais de caminhada, atividade que fortalece o corpo e melhora a saúde cardiovascular.

Pesquisadores norte-americanos e suecos descobriram, ainda, que pessoas com mais de 40 anos que fazem caminhadas regulares ??vivem até quatro anos e meio mais do que indivíduos sedentários.

Para quem passa muito tempo sentado, a orientação é dar pausas para alongar o corpo no decorrer do dia e fazer a pé tarefas rotineiras, como ir ao supermercado, à farmácia e etc.

3. Tenha uma atitude positiva

Um estudo revelou que a genética representa apenas 10% do envelhecimento, enquanto os demais 90% estão relacionados ao estilo de vida. 

Outra pesquisa – baseada no acompanhamento de 660 participantes com mais de 50 anos – mostrou que indivíduos com percepção mais positiva da própria idade e do envelhecimento chegam a viver em média sete anos e meio a mais.

Já um estudo norte-americano revelou que pessoas que vivem além dos 80 anos costumam ser mais positivas, mais sociáveis e se mantêm ativas por mais tempo. Essas atitudes são associadas à redução do estresse e à proteção do sistema imunológico 

4. E tenha filhos

De acordo com uma pesquisa publicada em 2017, pessoas que têm filhos vivem pelo menos dois anos a mais do que homens e mulheres sem filhos. Para os especialistas, os sentimentos provocados pela maternidade e paternidade podem ser tão relevantes quanto os fatores físicos relacionados à longevidade.

5. Invista em café grego

Conforme pesquisadores, a população da ilha de Ikaria, na Grécia, apresenta uma das maiores taxas de longevidade do mundo. E a explicação seria o consumo de um tipo específico de café. O café grego é rico em substâncias químicas chamadas polifenóis – que ajudam a prevenir uma série de doenças, como câncer, Alzheimer e doenças cardiovasculares – e antioxidantes, que ajudam a eliminar os radicais livres no sangue. Além disso, os níveis de cafeína são relativamente baixos. 

A pesquisa analisou o consumo de café de 673 habitantes com mais de 65 anos e mostrou que 87% dos moradores ingeriam o café grego finamente moído e cozido em uma panela alta e estreita. De acordo com o estudo, o consumo diário pode melhorar ainda a saúde cardiovascular.

6. Fique fora do hospital

Estudos demonstram que pacientes internados por muito tempo, independente do motivo da internação, estão mais propensos à morte prematura.

Uma pesquisa realizada na Inglaterra e no País de Gales constatou que 7.800 mortes extras ocorreram entre julho de 2014 e junho de 2015 depois que idosos foram mantidos no hospital por mais tempo do que o necessário.

Um relatório norte-americano mostrou também que cerca de um terço dos pacientes acima dos 70 anos e mais da metade dos pacientes com mais de 85 anos deixam o hospital mais incapacitados do que eram antes da internação.